segunda-feira, 17 de agosto de 2015

O Mundo em 2025: 8 Mudanças para os Próximos 10 Anos

Peter Diamandis, futurista e fundador da XPrize, recentemente publicou um artigo mostrando como algumas coisas mudaram nos últimos dez anos. Ele também listou 8 mudanças previstas para os próximos 10 anos.

Tivemos na última década mudanças radicais nos mercados da música, da fotografia e da telefonia.

Mudanças radicais acontecem quando surgem novos produtos ou serviços que substituem os existentes, fazendo as coisas acontecerem de forma melhor, mais rápida e mais barata.



Como era há dez anos…


– Há dez anos, o primeiro vídeo foi subido no YouTube.

– Surge o Facebook, começando dentro de uma universidade. Em apenas um ano, muda a sua antiga URL “thefacebook.com” para “facebook.com”, que foi adquirida por US$ 200 mil.

– O termo “Drone” significava uma arma militar.

– Bitcoin e blockchain não existiam. Só foram criados três anos depois.

– A Android era uma pequena startup que o Google tinha adquirido.

– Havia 6,4 bilhões de seres humanos na Terra, e apenas 1 bilhão estavam on-line. Nenhum deles tinha ouvido falar de Uber ou AirBnb.

Dez anos depois…


– O YouTube tem mais de 1 bilhão de usuários, que assistem centenas de milhões de horas de vídeo todos os dias. 300 horas de vídeo são enviadas para o YouTube a cada minuto.

– O Facebook tem 1,4 bilhões de usuários e está presente em quase todos os países do mundo. Se fosse um país, já seria o segundo do mundo em população.

– Os drones hoje são tão comuns que passaram a ser utilizados até por crianças, e podem ser comprados a preços que variam de US$ 50 a US$ 1.500. A maior empresa de drones voltada para o consumidor final é avaliada hoje em mais de US$ 10 bilhões.

– Bitcoin e Blockchain são empresas que têm gerado centenas de milhões de dólares em capital de risco e estão preparadas para ser potencialmente tão impactantes na vida das pessoas como a própria Internet.

– O Google tem atualmente mais de 1 bilhão de usuários ativos usando o Android.

– Hoje, há 7,4 bilhões de seres humanos na Terra, e 3 bilhões tem acesso à internet.

– A Uber, que surgiu em 2009, é avaliada em mais US$ 40 bilhões e não possui um carro sequer. A AirBnb, iniciada em 2007, vale mais de US$ 20 bilhões e não tem nenhum hotel.

Estes são apenas alguns exemplos de mudanças exponenciais ocorridas na última década, entre 2005 e 2015.

Mas, como será o mundo daqui a 10 anos, em 2025?

O mundo em 2025


Peter Diamandis responde a essa pergunta usando como base pesquisas existentes. Segundo ele, em 2025, veremos uma aceleração de mudanças, que provavelmente nos aproximará de um mundo com muito mais abundância.

A seguir vamos ver oito mudanças que causarão uma transformação extraordinária na próxima década.

1. Um cérebro humano por US$1.000

Em 2025, por mil dólares, você poderá comprar um computador capaz de calcular em 10 ^ 16 (10.000 trilhões de ciclos por segundo), velocidade de processamento equivalente ao do cérebro humano.

2. A economia de um trilhão de sensores

A Internet das Coisas ou Internet of Everything (IoE) descreve as conexões em rede entre dispositivos (ou aparelhos), pessoas, processos e dados. Até 2025, ela será superior a 100 bilhões de aparelhos conectados, cada um deles com uma dúzia ou mais sensores coletando dados. Isso vai levar à economia de um trilhão de sensores produzindo uma revolução dados além da nossa imaginação. Um relatório recente da Cisco estima que a IoE irá gerar 19 trilhões de valor criado.

3. Conhecimento perfeito

Nós estamos caminhando para um mundo de conhecimento perfeito. Com um trilhão de sensores que coletam dados em todos os lugares (carros, satélites, drones, wearables, câmeras, etc), você será capaz de saber absolutamente qualquer coisa, a qualquer hora, em qualquer lugar.

4. Oito bilhões de pessoas hiper-conectadas

Empresas como Facebook (Internet.org), SpaceX, Google (Project Loon), Qualcomm e Virgin (oneweb) estão se preparando para oferecer conectividade global para cada pessoa no planeta a velocidades superiores a 1 Megabyte por segundo.

A previsão é que nós passemos de 3 bilhões para 8 bilhões de seres humanos conectados. Essas 5 bilhões de pessoas irão representar trilhões de dólares fluindo para a economia global.

Estes novos potenciais consumidores não estarão conectados como fizemos há 20 anos, com um modem de baixa taxa de transmissão de dados. Estas pessoas estarão se conectando a 1 Mbps e tendo acesso a todo tipo de informações no Google, na nuvem, podendo fazer impressão 3D, usando os serviços da Amazon Web Services, usando a inteligência artificial, como a do Watson, da IBM, e tendo plataformas de crowdfunding e crowdsourcing, afora muito mais coisas relacionadas com medicina, educação e comunicação.

5. Grandes mudanças nos atuais sistemas de saúde

As instituições de saúde que conhecemos hoje sofrerão grandes abalos, e algumas desaparecerão, em função do surgimento de novos modelos de negócios na área. Estes modelos atuarão de forma muito mais cuidadosa, tendo significativos ganhos de qualidade e eficiência e tornando os procedimentos muito mais baratos do que os existentes atualmente.

Milhares de startups já começaram a fazer a diferença no setor. Grandes empresas, como a Google, Apple, Microsoft, SAP e IBM estão entrando com tudo nesta lucrativa indústria de saúde.

Estima-se que US$ 3,8 trilhões de dólares serão criados com os novos modelos de negócios que deverão desmaterializar, desmonetizar e democratizar o sistema burocrático e ineficiente de hoje. Sensores biométricos e Inteligência Artificial (IA) deverão estar presentes no dia a dia das pessoas, e nos farão donos da nossa própria saúde.

O sequenciamento genômico em grande escala a preços irrelevantes e os softwares que aprendem de forma semelhante a evolução humana, nos permitirão compreender as causas do câncer, das doenças cardíacas e das doenças neurodegenerativas, e o que fazer para curá-las.

Cirurgiões robóticos, que já estão fazendo a diferença nas operações, poderão realizar procedimentos cirúrgicos de forma autônoma, com perfeita exatidão a custos irrisórios.

As pesquisas de regeneração de órgãos estão evoluindo a taxas crescentes, permitindo que dentro de dez anos teremos tecnologia para regenerar o coração, o fígado, o pulmão e os rins, fazendo em vez de aguardar o doador morrer, como acontece atualmente.

6. Realidade Aumentada

Os investimentos realizados pelo Facebook (Oculus), Google, Microsoft (HoloLens), Sony, Qualcomm, HTC e outros, nos levará a uma nova geração de maquinas que permitirão termos uma experiência totalmente nova na forma de se comunicar e transferir informações.

A tela como conhecemos hoje – no seu telefone, seu computador e na sua TV – vai desaparecer e será substituída pelos novos modelos tecnológicos de óculos, semelhantes ao que os ‘fashionistas’ estão usando hoje. O resultado será uma ruptura massiva num grande número de indústrias, abrangendo desde o segmento de consumo de varejo, até o mercado imobiliário, de educação, viagens e entretenimento.

7. Inteligência Artificial

Pesquisas e estudos sobre inteligência artificial progredirão a passos largos durante a próxima década. Se você acha que a assistente do seu smartphone  é útil agora, a próxima geração será muito mais parecida com JARVIS do filme Homem de Ferro, com capacidades expandidas de compreender e responder.

Empresas como IBM Watson, DeepMind e Vicarious continuarão desenvolvendo a próxima geração de sistemas de Inteligência Artificial. Em uma década, será normal para você dar acesso à AI (inteligência artificial) para ela ouvir todas as suas conversas, ler todos os seus e-mails e escanear as informações sobre a sua biometria.

8. Blockchain

Se você ainda não ouviu sobre a blockchain, é recomendável entender um pouco sobre o assunto. Você já deve ter ouvido falar sobre bitcoin, que é uma moeda criptografada (global), democratizada e extremamente segura, baseada no blockchain.

No entanto, a verdadeira inovação é o blockchain, um protocolo que permite fazer de maneira segura e direta (sem intermediadores), transferências digitais de valores e bens (dinheiro, contratos, ações). Investidores como Marc Andreesen têm aplicado dezenas de milhões de dólares no desenvolvimento do blockchain, e acreditam que esta é uma oportunidade tão importante quanto a criação da própria internet.

Mudanças rápidas

A frase “O futuro não é mais como era antigamente” nunca foi tão atual.

As mudanças que iremos vivenciar daqui pra frente serão muito rápidas por duas razões:

Primeiro, porque o conhecimento é cumulativo.

Em segundo, o conhecimento poder ser compartilhado a custos muito baixos, de forma muito rápida e em qualquer lugar que tenha acesso a internet.

Quanto mais o conhecimento é disseminado, mais cumulativo ele se torna e mais ele cresce exponencialmente. O resultado são mudanças radicais acontecendo o tempo todo e impactando nossas vidas para melhor.


Nenhum comentário: